Hospitais são instituições que, em muitos casos, acabam falhando na atenção com a comunicação interna e externa. Nesse breve artigo vamos mostrar como melhorar a comunicação de um hospital.

Se a comunicação interna de um hospital é ruim, isso causa retrabalho na passagem de informações e notificações ou, até mesmo, redundância na preparação de novos colaboradores,  treinamento e perda de tempo com funcionários e empresas terceirizadas.

A comunicação externa também é um problema comum que acaba desinformando o paciente, causando muitas solicitações em SACs e atendimento telefônico. Sem contar com o desgaste do paciente, quando o mesmo perde tempo com falta de esclarecimento sobre  burocracias e procedimentos que deveriam ter sido tomados antes de pisar num hospital.

Na falta de uma boa comunicação externa, todo o trabalho positivo realizado pela instituição fica escondido, deixando exposto apenas os apontamentos negativos e insatisfação de uns poucos, o que desgasta muito a marca ao longo do tempo. É preciso mostrar o que está sendo feito de bom e de forma humanizada.

Cada hospital tem as suas necessidades, entretanto, nossa intenção neste breve artigo é mostrar que o alinhamento entre a direção e o marketing de hospitais não pode falhar e algumas medidas podem ser tomadas já, seja internamente ou com uma agência de marketing especializada em hospitais.

Como melhorar a comunicação interna em um hospital

A organização das informações de um hospital com muitos colaboradores e prestadores de serviços devem estar sempre disponíveis e atualizadas, do contrário o prejuízo não será somente financeiro, pelo acometimento de erros e retrabalhos, mas também haverá a depreciação da marca, por profissionais do mercado da saúde.
Quais ferramentas de comunicação um hospital deve ter:

1. Intranet e Extranet – comunicação com colaboradores

Ambas possuem o mesmo propósito, porém a primeira restringe o acesso apenas à rede interna. Não havendo documentação de alto sigilo, a melhor opção pode ser uma extranet que, através de filtros e módulos específicos, o usuário possuirá acesso apenas ao setor que foi autorizado. Por exemplo: Um enfermeiro pode consultar um manual de procedimento de retirada de medicamentos, pela biblioteca de conteúdo criada apenas para enfermeiros, dentro da intranet / extranet.
Fazer divulgações de notícias para os colaboradores é essencial e, através desta ferramenta, o hospital pode também realizar a divulgação de eventos e informações diárias como o cardápio, por exemplo.
A comunicação eficaz é aquela que vai até o público, ou seja, hoje em dia, ter acesso via smartphone é necessário já que ninguém mais para pra ler cartazes e quadros como antigamente.

2. Interação com fornecedores e terceirizados

Um módulo pode ser adicionado à sua extranet, permitindo que fornecedores e empresas terceirizadas tenham acesso a notificações e atendimento personalizado por chamados. Nessa área o usuário pode, por exemplo, ter acesso ao próprio contrato, enviar documentos e demais informações.
Na outra ponta, o departamento jurídico e financeiro poderiam ter acesso a essas informações, interagindo de forma dinâmica e imediata. 

3. Propósito e funções de uma intranet e extranet

O propósito de uma intranet é segmentar e restringir a comunicação aos colaboradores, entretanto, com a evolução do desenvolvimento de sistemas on-line, hoje é possível criar uma poderosa ferramenta que atende a inúmeras necessidades.
Hoje, por exemplo, nós da agência DocPix, desenvolvemos esses sistemas customizados sob demanda, unindo acessos e funções por setor, cargo e permissão além é claro, de integração com ERPs.   

Como estruturar o marketing para hospitais

Não ter uma identidade visual concisa, ferramentas e informações atualizadas para os usuários, colaboradores e pacientes, assim como deixar o que é feito de bom escondido, é um grande erro.


Diferentemente do marketing realizado pelo comércio e demais indústrias, a atração causada por hospitais é baseada na credibilidade, empatia e confiança dos pacientes em como o trabalho realizado no dia a dia é humanizado e como os profissionais dão voz ao que está sendo feito. 

Deixar de se posicionar na internet, escondendo o que há de bom num hospital é um erro. Se isso não for feito da maneira correta a marca não será lembrada pelas coisas boas e, por tanto, não receberá avaliação positiva dos pacientes e comunidade local. 


Não é porque a instituição de saúde em que você trabalha tem uma avaliação ruim no Google, que essa avaliação seja fidedigna a proporção de pacientes satisfeitos.
É sabido que pessoas insatisfeitas tendem a ter uma iniciativa maior em divulgar algo que não tenham gostado, por outro lado, grande parte das pessoas avaliam positivamente a amostra de bons trabalhos, principalmente quando são feitos de forma humanizada, por gerarem empatia nas pessoas. Informação também traz satisfação.

Na nossa experiência como agência de marketing, podemos explicar como trabalhamos com a comunicação e marketing de hospitais. Por onde começar:

1. Identidade visual

Grande parte dos hospitais possuem uma desorganização imensa com a sua identidade visual. O logo, geralmente distorcido, foi desenvolvido há tempos, sempre é apresentado em baixa resolução; A aplicação em impressos tem uma disposição diferente para cada peça; As redes sociais já não se espelham em nada e o design do site é divergente dos demais.
Nesse caso, a criação da identidade visual deve ser desenvolvida no mesmo conceito visual para todas as peças, mesmo que por questões diversas a aplicação não possa ser feita em uma única vez.

2. Site atualizado

O site de um hospital deve ser rápido, moderno e adaptado para smartphones.
As funções e informações de maior interesse do público devem estar dispostas logo que a página inicial abrir, sem que seja necessário rolar ou fazer uma busca.
O Design e estrutura de conteúdo, devem ser feitos após pesquisa analítica nos acessos do atual site e descoberta dos links com maior interesse pelos usuários.
Acesso a ferramentas como agendamento, resultados de exames e orientações devem ser expostas de forma intuitiva. 

3. Blog de notícias 

Conforme falamos anteriormente, o que é feito de bom, deve ser exposto.
Eventos, ações e informações sobre a instituição, localização, acomodações, etc, devem estar sempre à disposição do conhecimento das pessoas.
Dar voz para alguns especialistas, acrescenta um valor imensurável a marca, não somente aos pacientes, mas também à especialistas de outros hospitais. Nas duas situações o “branding” sai ganhando.

4. Avaliações do Google, Facebook e Reclame aqui

Ter um procedimento de respostas, abertura de chamado e continuidade na tratativa e, principalmente, averiguação e resolução de problemas reportados, são essenciais para que o mesmo não se repita ou que, ao menos, o paciente se sinta ouvido, sinta que haja uma iniciativa da instituição em resolver o problema e, talvez, mude de opinião.

5. Redes sociais

Uma boa rede social para hospital é aquela que inspira vida, recuperação, alegria,  profissionalismo e pessoas.
Uma vez que a identidade visual é modernizada e bem definida, a estrutura de conteúdo e informações estão prontas, então usamos as redes sociais para espelhar esses trabalhos na forma apropriada para cada uma.

6. Aplicativos móveis para hospitais

Aplicativos são bem-vindos sempre que trouxerem informações úteis para o consumidor, notificações, ou quando são integrados à ferramentas, como resultado de exames, por exemplo.

Nós da agência DocPix, atuamos nas áreas de desenvolvimento web (sistemas online, app, site, etc) e marketing digital.
Trabalhamos com hospitais de duas formas:
1- Ativa – onde idealizamos a estratégia, fazemos a criação, publicação e relatórios;
2- Operacional – onde recebemos instruções da equipe interna de marketing efetuando a criação e aplicação do que deve ser publicado.  

Se você trabalha num hospital e precisa de ajuda, entre em contato com a nossa equipe 😉